Notícias

Para restaurar florestas no sul do Brasil, faz diferença plantar mudas?

14/04/2021 - Meio Ambiente, sustentabilidade e agronegócio

O estudo de Marília C. Inhamuns, sob a orientação do Prof. Geraldo Ceni Coelho, publicado recentemente no periódico Restoration Ecology (https://doi.org/10.1111/rec.13356)  sugere que o plantio de mudas de espécies de árvores não é o fator mais importante, e pode mesmo gerar uma floresta menos diversificada. O estudo foi realizado no Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental na UFFS campus Erechim. As matas ciliares são florestas que acompanham a borda dos rios e córregos. Ecologicamente, exercem funções muito importantes, entre elas a proteção das águas em relação à poluentes, e a função de corredores ecológicos, ou seja, interligam remanescentes de vegetação silvestre sendo vias de deslocamento de animais, permitindo assim que populações se mantenham viáveis, e não isoladas. A região Sul do Brasil tem a predominância da Mata Atlântica, que foi bastante reduzida em função das atividades humanas, especialmente a partir do início do século XX. Com isto, boa parte das matas ciliares foram perdidas. O custo de recuperar as matas ciliares pode ser bastante alto, incluindo as mudas de árvores nativas, procedimento que é bastante comum. O estudo publicado foi conduzido em matas ciliares do município de Erechim-RS, que foram recuperadas através de projetos como o CALELI (sigla que se refere à CA-Campo, Le-Leãozinho, Li–Ligeirinho, rios do município). Nas áreas estudadas, foram comparadas matas ciliares recuperadas há oito anos, com cercamento, para evitar a entrada de animais. As áreas foram divididas em dois grupos, um grupo com plantio de mudas e um grupo apenas com a instalação de cercas de proteção. Porém, o que se constatou é que metade das áreas de ambos os grupos tinham presença de gado dentro delas, mesmo com as cercas, o que não deveria acontecer. Isto permitiu avaliar ao mesmo tempo a influência do gado e do plantio de mudas. O que se percebeu é que nas áreas em que não foram plantadas mudas, a diversidade de plantas foi maior, quase o dobro entre as plantas jovens, ou seja, nas populações de mudas que se estabeleceram no local por conta da natureza, após o cercamento. Já a influência do gado se dá na composição das espécies sobreviventes, pois algumas, mais frágeis, típicas de florestas maduras (também chamadas espécies climácicas), se encontravam bastante reduzidas pelos animais. O estudo sugere que mais atenção deve ser dada ao cercamento e sua manutenção, e apoio aos produtores rurais para que as restaurações sejam mais efetivas. O custo aplicado em insumos para o plantio de mudas pode ser redirecionado a atividades de apoio aos produtores e ao cercamento. Este resultado poderia ser generalizado para a Mata Atlântica? “O resultado deve ser interpretado com cautela, visto que a diversidade nas áreas restauradas foi proporcional à cobertura de mata nativa remanescente no entorno. Observou-se uma cobertura de vegetação nativa remanescente de quase 11% nos arredores das áreas restauradas, em média. Para obter essa medida, foi considerado um raio de 500 m ao redor das matas ciliares restauradas. Isto indica a importância dos pequenos capões de mato como fonte de sementes para a recuperação de áreas próximas. É possível que áreas com cobertura de mata nativa menores em seu entorno podem necessitar de ações complementares, até mesmo o plantio de mudas.“ (Geraldo Ceni Coelho) cenicoelho@gmail.com. Por Alexandre Hüller




Fonte: https://www.folhadonoroeste.com.br/colunas/para-restaurar-florestas-no-sul-do-brasil-faz-diferenca-plantar-mudas/

Outras Notícias

A ESTIAGEM E SUAS REPERCUSSÕES

Estamos vivenciando uma das piores estiagens dos últimos anos no estado do Rio Grande do Sul, e mesmo que venham as chuvas marcadas para os pr&...

MELIPONICULTURA

Na coluna passada abordei sobre a valorização da apicultura na região noroeste do RS. Agora, como prometido, abordo outro tema im...

APICULTURA EM EXPANSÃO NA REGIÃO

A demanda global por mel natural está em pleno aquecimento. Com isso, na região noroeste do RS, um projeto inovador pretende incentivar,...

Conversão de campo em lavoura no bioma pampa

Muitas pessoas ainda desconhecem as regras para supressão de vegetação nativa no Bioma Pampa, onde, a necessidade de licenciament...

A Lei Geral do Licenciamento Ambiental

O licenciamento ambiental é um dos mais importantes instrumentos da Política Nacional do Meio Ambiente, especialmente por estar associad...

Sustentabilidade no mercado imobiliário

A necessidade de percepção ambiental e desenvolvimento sustentável já é uma necessidade consolidada em nosso meio. ...

A3P: Agenda Ambiental na Administração Pública

Muitas empresas privadas já estão de adaptando às novas exigências ambientais, seja pela pressão do mercado internac...

PSA – Pagamento por Serviços Ambientais

Os “serviços ambientais” são aqueles serviços prestados pela natureza à sociedade sem que, na maioria das veze...

Precisa Licença ambiental para cultivar eucalipto?

O gênero Eucaliptus inclui mais de 700 espécies, quase todas originárias da Austrália, adaptados a praticamente todas as co...

O ACORDO DE PARIS

Muito tem se falado na necessidade do Brasil atender ao Acordo de Paris. Mas afinal! Você sabe do que se trata este acordo? Na verdade é ...
icone-whatsapp 1
redesp_facebook.pngredesp_youtube.pngredesp_linkedin.pngredesp_instagram.png
A Empresa

Vertal Imóveis
Rodovia RS 344, Km 39 n°1100 - Campus Unijuí - Sala A315
Santa Rosa / RS

contato@vertalimoveis.com.br
Creci: 63572 F e 26033 J

Contato

 Rodovia RS 344, Km 39 n°1100 - Campus Unijuí - Sala A315 - Santa Rosa-RS

 (55) 996220277

 Segunda a sexta das 8:00 às 18:00hs

  Fale Conosco
www.vertalimoveis.com.br © 2022. Todos os direitos reservados.
Site para Imobiliarias
Site para Imobiliarias